Como a rejeição de 007 levou Steven Spielberg a fazer Indiana Jones

Arquivo Aberto

Como a rejeição de 007 levou Steven Spielberg a fazer Indiana Jones

Steven Spielberg é um dos maiores diretores de Hollywood – não à toa, ele é o responsável por filmes que modificaram totalmente a história de Hollywood e influenciaram uma geração completa de cineastas americanos. Por exemplo, Tubarão mudou a maneira de se fazer e promover filmes nos EUA.

007 é uma das maiores franquias dos livros e dos cinemas. James Bond é icônico, sua mitologia é conhecida pelo público em geral e sua importância é também enorme em Hollywood. O mesmo pode ser dito por Indiana Jones.

E o que esses três elementos (007, Steven Spielberg e Indiana Jones) tem em comum? É o que vamos descobrir no texto de hoje do Arquivo Aberto!

Steven Spielberg 007

No final dos anos 70, Steven Spielberg era o nome mais cobiçado de Hollywood, depois de ter feito Tubarão e Encontros Imediatos de 3º Grau. Sabe como há alguns anos Joss Whedon era o “deus dos nerds” depois de Os Vingadores? Sabe como Christopher Nolan era o “MELHOR DIRETOR DA HISTÓRIA” depois de Batman – O Cavaleiro das Trevas? Enfim, esse era Spielberg naquela época.

Aproveitando que era o bambambam do momento, o diretor tentou cavar uma vaguinha num dos seus projetos do sonho: dirigir um longa do James Bond.

Aqui, há uma certa confusão dos fatos. Em algumas entrevistas, Steven Spielberg admite que pediu para dirigir 007 apenas uma vez. Em outras, ele disse ter pedido duas vezes para comandar a franquia, sendo respondido com certa grosseria pelo produtor Albert Broccoli.

Seja como for, houve esse pedido por parte do Spielberg e houve também por parte de Roger Moore, ator que interpretava o James Bond na época. Em sua biografia, Moore admite que pediu para Broccoli para que Spielberg comandasse um dos filmes da franquia e o produtor negou, dizendo que Spielberg pediria uma porcentagem muito alta dos lucros do longa e que, por princípios, nenhum diretor da franquia poderia receber porcentagem dos lucros de um filme do 007. “James Bond é maior do que todos eles”, seria o princípio.

É difícil saber EXATAMENTE porque Broccoli não queria Spielberg no comando de um 007. A tal porcentagem de lucro é, claro, algo que incomodaria um produtor, além do fato de que um diretor desse nível poderia “roubar” os holofotes da marca da franquia. Afinal, seria um “filme do Spielberg” ou um “filme do 007”?

Assim, Steven Spielberg acabou sendo rejeitado pela franquia 007. E o que ele fez depois? Se vingou com a criação da franquia Indiana Jones.

Mas vamos contextualizar.

Steven Spielberg Indiana Jones

George Lucas é um cineasta muito criativo, por mais que as pessoas hoje em dia tenham um certo preconceito com ele por causa da “nova” trilogia de Star Wars e suas alterações na trilogia original da franquia. Porém, ele é criativo.

Quando começou sua carreira, Lucas teve duas grandes ideias de filmes, ambas inspiradas em séries dos anos 30 nos EUA. Uma delas era uma ficção científica inspirada em produções como Flash Gordon e Buck Rogers, que acabou se tornando Star Wars – principalmente depois de toda a influência do trabalho de Akira Kurosawa em George Lucas.

A outra ideia seria a de um arqueólogo aventureiro inspirado em Doc Savage. Dessa ideia, nasceu o roteiro de algo chamado The Adventures of Indiana Smith, que eventualmente se tornaria Raiders of the Lost Ark (Indiana Jones e os Caçadores da Arca Perdida).

Sem tempo para dirigir esses dois projetos, George Lucas começou a procurar por alguém de confiança para comandar essa sua ideia. Foi então que caiu do céu seu amigo Steven Spielberg, chateado por ter sido rejeitado por Albert Broccoli e a franquia 007.

Lucas ofereceu Indiana Smith para Spielberg, dizendo que sua criação era “melhor que James Bond”. O diretor de Tubarão leu o roteiro, gostou, fez algumas alterações (como o sobrenome do personagem) e idealizou seu Indiana Jones justamente como um 007 com menos espionagem e mais aventura. Tanto é assim que os inimigos de Indiana Jones são nazistas!

A partir daí, o resto é história. Indiana Jones se tornou uma das franquias mais icônicas da cultura pop e ajudou a elevar ainda mais o nome de Steven Spielberg e George Lucas no fim dos anos 70 e durante os anos 80, inspirando muitos cineastas que trabalham hoje em Hollywood.

E tudo isso porque Spielberg precisava de algo para superar a rejeição de James Bond.

Continuar lendo
Publicidade
Leandro de Barros

Campeão de Chess-Boxing por W.O. da minha rua, nerd de nascença, babaca por opção. Depois de muito analisar a sociedade moderna, só tenho uma coisa a dizer: með þýðandi? Veik!

Deixe seu comentário!

Mais em Arquivo Aberto

To Top