A estranha história de quando a Marvel e a DC iam trocar de personagens no Universo Amálgama

Arquivo Aberto

A estranha história de quando a Marvel e a DC iam trocar de personagens no Universo Amálgama


Em 1996, o mundo dos quadrinhos norte-americanos andavam em erupção. As vendas continuavam caindo (muitas comic shops fecharam naquele ano), o sistema de distribuição ainda não estava muito definido e a Marvel e a DC criaram o Universo Amálgama para combater o domínio da Image Comics.

Nesse ano, símbolos da Era de Ouro dos quadrinhos morreram (alguns literalmente, como o co-criador do Superman, Jerry Siegel) e a indústria americana abraçou de vez o porradismo que marcou os anos 90 nos quadrinhos.

O ápice do tormento desse ano foi em dezembro, quando a Marvel deu entrada ao seu polêmico e famoso processo de falência. Porém, o ano tinha começado “bem” com um outro evento histórico: a junção entre Marvel e a DC.

20 anos do Universo Amálgama

O ano de 1996 começou com um plano histórico entre a Marvel e a DC Comics: a criação de um Universo Amálgama.

Tudo começou com o encontro crossover DC vs Marvel (traduzido no Brasil como DC vs Marvel: O Confronto do Século), onde duas entidades-irmãs (os Universos Marvel e DC) decidem disputar para ver quem tem os heróis mais poderosos.

Os dois universos colocam seus heróis para uma série de 10 lutas (cinco delas decididas pelos leitores) e, no fim desses duelos, os dois universos se fundiram em um Universo Amálgama, misturando seus personagens.

Dessa fusão saíram personagens como o Garra Negra, uma fusão do Wolverine e do Batman, que combatia o crime após passar por um programa do governo para obter suas garras e um esqueleto de adamantium. Seu principal inimigo era o Hiena, uma mistura do Coringa e do Dente de Sabre.

Outros personagens de destaque foram nomes como o Super Soldado, mistura entre o Capitão América e o Superman (nesse universo, Clark Kent se voluntaria para receber o soro do Super Soldado e recebe os poderes do Superman nesse processo), bem como a Amazona, a fusão da Mulher-Maravilha com a Tempestade.

Após o fim da saga, nunca mais se comentou sobre a junção entre os dois universos, especialmente porque o Universo Amálgama não vendeu tão bem quanto o esperado e não ajudou a combater a ascensão da Image Comics como pretendido anteriormente.

Porém, os efeitos dessa história deveriam ser sentidos por muito mais tempo: a Marvel e a DC Comics deveriam ter TROCADO DE PERSONAGENS no fim dessa brincadeira.

Fusões entre personagens da Marvel e DC

AMALGAMA-04

AMALGAMA-05

AMALGAMA-07

AMALGAMA-09

AMALGAMA-03

 

Como a Marvel e a DC iam trocar de personagens

Inicialmente, a ideia era que um personagem da DC ficasse no “Universo Marvel” por um tempo pré-determinado de 1 ano, enquanto um personagem da  Marvel ficaria no “Universo DC” pelo mesmo período.

Basicamente, as editoras trocariam de personagens, publicariam novas histórias e teriam controle editorial desses personagens durante esse período de tempo.

Segundo o editor Mike Carlin, editor do projeto pela DC (Mark Gruenwald foi o editor da Marvel), a troca de personagens só não foi pra frente por causa da complicação jurídica dessa troca:

Nós discutimos a troca de personagens no começo do planejamento do Universo Amálgama, mas antes que chegassemos a decidir que personagens iríamos trocar, nós decidimos que as dores-de-cabeça jurídicas por causa das edições que os personagens apareceriam, quaisquer reimpressões, não valeriam a pena“, disse.

Apesar do editor ter dito que as empresas nunca decidiram quais personagens seriam trocados, as conversas de bastidores indicam que as opções da Marvel para a troca seriam o Demolidor ou a Tempestade, enquanto a DC Comics ofereceria a Mulher-Gato ou a Mulher-Maravilha respectivamente.

E aí, você acha que seria legal ver um personagem da Marvel no Universo DC e vice-versa? Seria apenas mais uma herança maldita do Universo Amálgama ou a única coisa boa desse crossover?

Continuar lendo
Leandro de Barros

Campeão de Chess-Boxing por W.O. da minha rua, nerd de nascença, babaca por opção. Depois de muito analisar a sociedade moderna, só tenho uma coisa a dizer: með þýðandi? Veik!

Comments

Mais em Arquivo Aberto

Publicidade

Artigos mais vistos

Publicidade
To Top