Nós vivemos uma era de debate sobre a participação feminina em Hollywood e na cultura pop como um todo, movido à hashtags como #GamerGate ou #AntiMachismoNerd.

E toda essa conscientização sobre a representatividade feminina na cultura pop está começando a dar resultado. Pelo menos por “vias tortas”.

A roteirista Kelly Sue DeConnick, um dos principais nomes da Marvel atualmente e responsável pela popularização recente da Capitã Marvel, revelou em entrevista ao HitFix que tem se encontrado com produtores de Hollywood, que buscam por histórias com mulheres fortes e complexas como protagonistas.

Eu já tive um monte de encontros em Hollywood. Cada uma dessas reuniões – cada uma delas – começou com eles dizendo que estão interessados em ‘mulheres complexas como protagonistas’. Obrigada Cookie [de Empire] e obrigada Furiosa [de Mad Max: Estrada da Fúria]. Quando algo gera dinheiro, de repente surgem conversas para participar e os executivos de Hollywood vão dizer o quanto eles esperavam por isso há ‘muito tempo’. Eles estão aceitando histórias [desse tipo] agora. Hoje“, disse a roteirista.

Aparentemente, depois de produções estreladas por mulheres – e dá para incluir até a própria Katniss de Jogos Vorazes aí – fazerem sucesso, os estúdios estão dispostos a incentivar mais produções do tipo visando o lucro.

De um lado, veremos no futuro próximo um aumento de representatividade feminina em Hollywood. Do outro, não é um aumento por consciência, mas por interesse financeiro – mas seja como for, é o primeiro passo para uma conscientização maior.