O que vamos assistir quando acabarem os filmes de super-heróis?

Cinema

O que vamos assistir quando acabarem os filmes de super-heróis?

Recentemente o mestre dos dinossauros, Steven Spielberg, fez uma declaração polêmica ~ tal qual mamilos ~ sobre o futuro dos filmes de super-heróis.

Mas antes de falar sobre isso tenho que lembra-los que anos atrás ele profetizou que o cinema passaria por um tempo de crise (Olha a crise chegando pra todos!) e isso afetaria as bilheterias.

Tal qual Nostradamus, ele estava certo e nos últimos dois anos temos visto muitos blockbusters sendo pessimamente recebidos na semana de estreia e não dando retorno para os investimentos milionários de produção.

tsaHlnYTomP5La0Oq23EYR4Kf5-d6zqA-large

Como ele acertou nessa profecia perguntaram-lhe esses dias sobre os filmes de heróis e ele foi categórico ao dizer que:

“Ciclos têm um tempo finito na cultura popular. Chegará um dia em que essas histórias mitológicas serão suplantados por algum outro gênero que possivelmente algum jovem cineasta está pensando em descobrir para todos nós”.

Em outro trecho da entrevista ele comparou os filmes de super-heróis aos de faroeste que faziam muito sucesso em décadas passadas e que simplesmente foram suprimidos. Para ele:

“Chegará um tempo em que os filmes de super-heróis seguirão pelo mesmo caminho que dos filmes de faroeste. Não quer dizer que não haverá uma época em que os faroestes irão voltar e os filmes de super herói também voltarão. É claro, mas agora os filmes de super-herói estão vivos e prósperos.”.

No resumo da ópera, ele disse que o gênero esta fadado a saturar e que no futuro não vamos mais ter interesse em filmes dessa galerinha super forte e humanamente superior, mas algo nascerá para substituir esse gênero.

superman-christopher-reeve-new-york

Filmes de super-heróis (principalmente adaptados de HQ) estão presentes no imaginário do cinema faz algum tempo, vide Superman (com Christopher Reeves) de 1978, por exemplo.

Perceber que era possível adaptar quadrinhos para cinema foi uma ótima estratégia para popularizar a mídia e levar mais espectadores ao cinema (e ganhar dinheiro, lógico, com o licenciamento de novos produtos atrelados aos personagens).

Contudo, apenas recentemente com o levante da “briga” Marvel vs DC no cinema, e consequentemente a gama de estúdios embarcados nos direitos dos personagens,  esse estilo de filme conseguiu muito retorno e presença frequente nas salas de cinema no mundo.

xmen

X-Men do Bryan Singer (2000) fez tanto por esse gênero no cinema, que nesses 15 anos ~ estamos ficando velhos Magneto ~ a quantidade de filmes do gênero, adaptados ou não das HQ, só cresceu ano após ano. 

Em 2008, com chute ao longe, a Marvel lançou seu Homem de Ferro, fazendo tanto sucesso que conseguiu fazer avançar o que vemos hoje em filmes individuais e de equipes dos mais variados super-heróis. 

Hoje, Marvel e DC (Marvel Studios, braço da Disney e DC Entertainment, braço da Warner Bros, respectivamente) já tem uma agenda de filmes até 2020 (o que não é tanto tempo assim adiante diga-se de passagem).

giphy (1)

Mas se, mesmo diante de bilheterias megalomaníacas, que demonstram seu sucesso de público (porque às vezes o sucesso não precisa ser também de crítica), os filmes de super-heróis estão mesmo fadados ao fim como os filmes de faroeste (que Tarantino tenta ressuscitar em seu Django Livre de 2012) o que virá como substituto?

giphy (2)

Não consigo imaginar um gênero novo que possa ser um substituto, já que aventura e ficção cientifica, por exemplo, sempre estiveram em voga.

Talvez os filmes de distopia ou utopia, baseados em livros de sucesso. Mas mesmo esses, como Jogos Vorazes e Divergente, já recebem criticas no sentido que rapidamente nos cansamos de fórmulas repetidas sobre sociedades totalitárias e grupos sociais vivendo a margem de guerras absurdas.

giphy

Talvez, como disse Spielberg, algum jovem cineasta esteja pensando nisso sobre nesse exato momento. E daqui uns anos ele mostre ao mundo sua galinha dos ovos de ouro.

Enquanto nada disso acontece nos resta, se for do agrado, torcer pra que a profecia não se concretize tão cedo e ainda possamos usufruir de horas de boas histórias de super-heróis nos cinemas.

Continuar lendo
Publicidade

Cantora de ocasião, atriz de televisão, bailarina do Faustão, mas queria saber tocar violão. Sei que, às vezes, sou legal mesmo quando não estou dando mole.

Deixe seu comentário!

Mais em Cinema

To Top