Vingadores: Era de Ultron e uma nerd no evento épico

Cinema

Vingadores: Era de Ultron e uma nerd no evento épico

Estava fazendo inveja nerd no Murilo pelas redes sociais e no meio da conversa ofereci, em outro momento ele também convidou (ou será que foi ao contrário?) para escrever esse texto que não é bem uma resenha do filme, mas as minhas impressões de um evento épico.

Sabe aquela sensação de assistir uma série e querer alguém para conversar sobre o episódio da noite anterior mas ninguém na empresa sabe do que você está falando? Bate aquela sensação de solidão e a aquela informação fica latente e guardada… então, é o que esse texto representa.

Esse artigo não é uma resenha, não deve ser crítica e definitivamente não é uma análise profunda da produção. Assim, não tenho o comprometimento de falar palavras bonitas ou reconhecer notas de orvalho na estética da fotografia, vou contar como se estivesse no sofá de casa com amigos nerds.

Fiquei pensando em alguns títulos como “Vingadores e uma nerd metida à jornalista“, também em “Vingadores o que teve?” como se eu fosse uma espécie de blogueira cobrindo eventos chiques, mas o que eu queria mesmo dizer é “Ai como eu queria ser a Feiticeira Escarlate”, talvez eu devesse chamar assim. Me identifiquei.

O que eu tenho aqui para contar é que na última segunda-feira (dia 20) eu tive o privilégio de assistir Vingadores: Era de Ultron na chamada primeiríssima e exclusiva exibição do filme para o público (um beijo!), convite do meu querido Omelete (olha os créditos aí, gente).

Primeiro sobre o evento, li em algum post que não lembro de quem e vou repetir aqui: foi um esquema militar à altura Disney.

Estamos no mês mais maluco dos vazamentos e acredito que o cuidado foi reforçado, tivemos os comuns telefones lacrados, assinaturas de termos de confidencialidade, constantes lembretes das regras e o comprometimento de não falar sobre o tema até ontem, quinta (23), lançamento do filme.

Confesso que achei isso um toque ainda mais especial pela exclusividade do que estávamos vivenciando naquele momento do ano mais nerd que já vi.

Muitos cosplayers profissionais, top mesmo, sabe? Um superando o outro. Tinha o Homem de Ferro que foi um dos melhores que vi porque ele é cosplay até na cara. Olha aí:

Cosplay bom até na cara. #vingadores

A post shared by Heloisa Lima (@hellolima2) on

Não tirei mais fotos dos cosplayers porque já estava com o telefone lacrado.

Trombei os brothers no shopping e… #vingadores #cosplay

A post shared by Heloisa Lima (@hellolima2) on

[leftbox]Agora o filme. Ah o filme!

vingadores-era-de-ultron-critica-2Antes de mais nada quero passar um contexto. No dia seguinte à sessão alguns amigos me perguntaram o que achei e não consegui dizer em uma única frase se gostei, amei, odiei ou sei lá. Tenho um amigo que me chacoalhou para eu dar uma resposta direta, não consegui.

O fato é que precisei de uns dois dias para assimilar tanta informação e finalmente concluir que amei! Chuva de likes para o filme. Sou do time que achou Vingadores: Era de Ultron melhor que o primeiro.

Eu sempre me apego em detalhes de composição da história, das cenas, a minha cabeça pensa em fluxogramas e foi isso que mais me impressionou e, como da última vez, a Marvel conseguiu fazer um filme que agrada a todos os públicos.

É nítido o cuidado em falar particularmente com os mais diversos perfis de audiência. Eu sou publicitária e isso é uma das coisas mais difíceis de se realizar, como ser mainstream e nichado ao mesmo tempo? Eles conseguiram.

Eu ri muito, fiquei incrivelmente tensa e quase chorei, tudo isso no período de um pouco mais de 2h20m. Chuva de likes e lágrimas para o filme.[/leftbox]

[rightbox]Dos personagens, tem Tony Stark sendo Tony Stark, um Capitão América colocando as manguinhas de fora (adoro!), um Thor mais confortável, mais maroto, mais local e um Bruce Banner no conflito, no romance, na doçura e, por favor, dá uma cartela de rivotril e um colo para ele. Sou suspeita para falar pois sempre tive uma paixão louca pelo Mark Ruffalo.

vingadores-era-de-ultron-critica-3Eu tenho uma tendência a ficar com dózinha por alguns personagens e atores menos favorecidos de glamour nos filmes, abraço a causa mesmo, por isso fiquei muito feliz pela importância e pela história do Gavião Arqueiro nesse filme.

Ele é a cola que une e motiva o grupo (cafona isso, né? mas é esse o sentimento ownnn), é muita lindeza e poesia. Ele que estava cheio de voodoo no primeiro filme, se torna o cara mais fofo agora, daqueles que você colocaria na friendzone por anos e no fim acaba se casando porque era ele o tempo inteiro, sabe? Meninas entenderão.

Já a Viúva Negra está mais badass nessa edição, mas ainda assim Scarlett Johansson não me convence, meu problema com ela acho que é muito mais coisa de mulher que não vai com a cara da outra (não me julguem!).

Das novidades: o Ultron e o Visão, eu poderia assistir mais meia hora de filme com eles, fui para o cinema sem assimilar a informação que o Ultron era o James Spader, reconheci a voz e é o casamento mais perfeito de personagem + ator. O Visão é um tapa na cara de bom, daqueles que de tão zen e lúcido parecia (e acho que tinha mesmo) que andava com uma luz na cabeça.[/rightbox]

Não vou entrar no detalhe das faíscas ainda pequenas que o Tony Stark troca com o Steve Rogers que a trama começa a instigar para a Guerra Civil, pois isso gente muito mais qualificada para o assunto do que eu já abordou e continuará abordando muito.

A Feiticeira Escarlate correspondeu às minhas expectativas, gostei da evolução da personagem na história e, claro, das magias loucas vermelhas que ela emana.

O Mercúrio é mais moleque, me lembrou um pouco o Chris Evans brincando com fogo (menos hot, claro) no Quarteto Fantástico.

 

vingadores-era-de-ultron-critica-hulkbuster

A parte das explosões, destruição de cidades inteiras não poderia faltar. Tem bastante, acho até que demais, pois eu sou a parte da audiência que não curte tanto isso, mas entendo a necessidade de agradar a todos.

Para mim a luta entre o Homem de Ferro e o Hulk foi uma cena longa e com muito peso nos efeitos, achei over. Mas eu ri com o diálogo, foi mais um oferecimento de Tony Stark, o stand-up man.

Por fim, falando de coisa séria, o filme é inteiro sobre ego, muito mais que o primeiro, e a minha parte que pira na construção de roteiro e fluxogramas ficou muito feliz com a maneira que eles construíram isso e como orquestraram com os personagens que fazem o contraponto, como o Gavião Arqueiro.

Analisando um pouco mais nos dois dias depois, para mim fez todo o sentido o trailer teaser ter sido dedicado à cena que todos tentam levantar o martelo do Thor, as reações do grupo nessa cena para mim é o tom de como será conduzida a história. Amo a cara do Thor quando o Steve Rogers consegue mover um pouco o martelo.

Os últimos 10 minutos são cheios de recadinhos para as cenas dos próximos capítulos e eu, claro, fiquei até o fim dos créditos esperando o Homem-Aranha que não apareceu.

Enfim, tempestade de likes para o filme.

Obrigada por esse papo, gente. A nerd que habita em mim está muito feliz de poder dividir isso tudo.

😳 melhor época para ser nerd #vingadores #hulk #nerd #geek

A post shared by Heloisa Lima (@hellolima2) on

E como continuo empolgadíssima com o tema, domingo passado corri na Marvel Run no batalhão da Viúva Negra (que ironia!), eu queria mesmo era ir de Feiticeira Escarlate, mas não tinha essa opção.

Vou te contar que eu nem sei correr. #marvelrun #nerd #vingadores #geek

A post shared by Heloisa Lima (@hellolima2) on

Um beijo!

Continuar lendo
Publicidade

Publicitária, nerd, bruxa e com fome. Mais aventuras no meu blog http://acasademenina.com.br

Deixe seu comentário!

Mais em Cinema

To Top