O futebol é uma “caixinha de surpresas”, já diriam os ilustres narradores de partidas desse esporte que é mobiliza milhões de pessoas no mundo. No gramado são dois times, 22 jogadores e um único objetivo: ganhar a partida atrás do saldo de gols. Nas regras são dois tempos de 45 minutos, e em jogos de decisão o empate leva aos acréscimos (dois tempos de 15 minutos). Se ainda nesse tempo regulamentar nada for decido chega a hora dos pênaltis. Aí o jogo vira “loteria”e ganha quem acerta mais chutes à gol. Quem esta mais propenso a ganhar a partida na hora dos pênaltis? Impossível dizer.

Será mesmo impossível? Talvez, não. Stephen Hawking, um celebre físico teórico (se você não conhece ele já pra o Google pesquisar!) talvez tenha chegado à uma fórmula que definiria quem esta mais propenso a acertar na hora da cobrança dos pênaltis (veja na imagem). Assim, ele criou o que estão chamando de Fórmula para o “pênalti perfeito”, que pode ser aplicada em partidas oficiais ou naquela peladinha de final de semana.

geek-penal

Alguns pontos devem ser levados em consideração na hora da cobrança, como: velocidade do chute, posicionamento dos pés, lugares específicos na trave perspicácia do goleiro.

Velocidade do chute: É um ponto chave na cobrança, porque pra que o jogador marque o gol ele vai precisar ganhar velocidade. Assim, Hawking dá a dica: “Corra mais de três passos.”. De acordo com seus cálculos 87% é a chance real de um jogador que corre mais do que três passos têm de fazer um gol durante uma cobrança de bola parada da marca do pênalti.

Posicionamento dos Pés: Mas, se velocidade é uma das chaves, saber como chutar a bola vai ter total relevância na cobrança. Segundo ele: ” (…) velocidade não significa nada sem um bom posicionamento dos pés”. Assim, é recomendado o uso da lateral do pé na hora da cobrança. Nada de dar ‘bicuda’ ou fazer de conta que é uma partida dos Super Campeões – não use o peito do pé. Chutar com a lateral do pé confere um aumento de 10% nas chances de fazer um gol.

Lugares Específicos na Trave: Dependendo do lugar pra onde for direcionado o chute há mais ou menos chance de fazer o gol. Para Hawking:  “As estatísticas confirmam o óbvio. Chute no canto superior esquerdo ou direito.”. Em 84% das vezes que a cobrança acontece dessa forma ocorre o gol.

Perspicácia do Goleiro: Não adianta nada uma cobrança “bem feita” se o goleiro estiver muito atento e preparado. Então a dica agora é pra os goleiros: quer ser o “herói” da partida? Então: “Distraia o jogador que baterá o pênalti pulando de um lado para o outro”. Simples, e as chances de agarrar o chute sobem 18%.

Curiosidade: Desmistificando o que é muitas vezes é dito: “canhotinho acerta mais”; Hawking afirma não ter evidências de que ser canhoto ou destro influencia nas chances de gol.

O estudo de Hawking foi contratado pela Casa de Apostas irlandesa Paddy Power (abaixo tem um video com o próprio cientistas falando da experiência), com o objetivo de determinar as reais chances da seleção da Inglaterra na Copa do Mundo. Durante o trabalho o cientista (e seus alunos) assistiu por um mês as performances da Inglaterra na edições anteriores do Mundial e tirou algumas conclusões. Foram analisados 45 jogos do torneio desde a última vitória da Inglaterra no mesmo, que ocorreu em 1966. Junto ele analisou, também, 204 pênaltis, de onde saiu a Fórmula do “pênalti perfeito”.

Nesse estudo ele destaca que cinco fatores podem influenciar a seleção Inglesa (mas também qualquer outro time), sendo: ambiental , fisiológico, psicológico, político e tático. Para a empresa que encomendou o estudo ele fez bem mais do que foi pedido e você pode conferir todo o estudo intitulado: Professor Stephen Hawking’s World Cup Study for Paddy Power .

Na pegada das apostas para o Mundial de Futebol, que ocorre em junho no Brasil, o cientistas, que diz não apostar em esportes e não ser fã de futebol, apostaria suas fichas na seleção canarinha, já que 30% das edições anteriores do campeonato foram vencidas pelo país sede:

Colocaria meu dinheiro no Brasil. Como sabemos pelo estudo, estar perto de casa tem um impacto positivo significativo graças a fatores ambientais e psicológicos. O time do Brasil não parece ser tão bom como nos velhos tempos, mas tenho certeza que eles têm qualidade o suficiente para levantar a taça uma sexta vez.

Mais informações podem ser obtidas noBlog Paddy Power.