As Crônicas de Os Poucos e Amaldiçoados: Felipe Cagno expande seu universo pós-apocalíptico em novo projeto no Catarse.

Livros e HQ

As Crônicas de Os Poucos e Amaldiçoados: Felipe Cagno expande seu universo pós-apocalíptico em novo projeto no Catarse.

 

A quantidade de publicações de quadrinhos nacionais não para de crescer. Felizmente, a qualidade tem acompanhado esse crescimento. E, além disso, temos uma diversidade de gêneros e estilos que já é histórica.

Uma das melhores vitrines para ver o que está sendo produzido é o site de financiamento coletivo Catarse – lá, a categoria “Quadrinhos” é a que tem dado mais resultados positivos.

Um dos mais prolíficos quadrinhistas dessa cena é o roteirista paulista Felipe Cagno, que também é produtor de cinema e está com um filme prestes a ser lançado, Bala sem Nome (estrelado por Paolla Oliveira e Sergio Marone, , roteirizado e dirigido por ele).

Um dos seus primeiros projetos foi o álbum Lost Kids: Buscando Samarkand, que arrecadou 150% do valor pleiteado. Depois vieram os projetos da série 321 Fast Comics (com dois volumes até agora), que lhe rendeu o prêmio Angelo Agostini de Melhor Roteirista de 2014. Felipe ainda escreve as séries Classified (que já teve a primeira edição lançada) e, a cereja do bolo, Os Poucos e Amaldiçoados (The Few and The Cursed)!

Capas – edições 1 e 2

Surgida no final de 2015, a série Os Poucos e Amaldiçoados nos apresentou a personagem conhecida apenas como Ruiva, uma caçadora de maldições. A história, intitulada Os Corvos de Mana’Olana, mostra um mundo pós-apocalíptico onde 90% da água da Terra desapareceu misteriosamente em 1840, impactando no desenvolvimento social e tecnológico do planeta. Setenta anos depois, a humanidade luta para sobreviver à escassez e aos ataques sobrenaturais de monstros e demônios.

A série terá seis edições, duas das quais já foram financiadas via Catarse e publicadas. Apesar de estar apenas no início é possível ver todo o potencial que a série tem. A personagem principal já diz ao que veio logo nas primeiras páginas do volume 1: não é de levar desaforo pra casa, é determinada e segura de si; a arte de Fabiano Neves é excelente e as cores de Dinei Ribeiro e Ivan Nunes contribuem ao transmitir a secura e esterilidade do ambiente; por fim, somos instigados a querer conhecer mais aquele mundo e as pessoas que transitam por ele. Afinal, o que aconteceu com a água da Terra? Quem abriu os portões do inferno? E, o mais importante, como será o encontro da Ruiva com os corvos de Mana’Olana?

Diante de todo esse potencial, Cagno decidiu mergulhar mais fundo no rico cenário do seu universo pós-apocalíptico. Para contar histórias que mostrem melhor o mundo da Ruiva, o álbum As Crônicas de Os Poucos e Amaldiçoados está atualmente disponível no Catarse.

Segundo o próprio autor: “Quando terminei o roteiro da terceira edição da série principal, Os Corvos de Mana’Olana, percebi que tinha criado alguns personagens interessantes que eu mesmo queria conhecer melhor. Além disso, tem todo um mundo além da Ruiva que também sofreu com o sumiço de 90% da água no planeta da noite pro dia. Eu não queria esperar a conclusão dos Corvos para só então explorar mais desse mundo e como já tive duas experiências bem positivas com antologias antes, surgiu a ideia das Crônicas.

Não vi e já gostei. Vai ser interessante dar uma olhada no que está acontecendo em outros lugares da Terra, conhecer outros personagens e dramas. Será que veremos outros caçadores de maldições atuando?

As Crônicas de Os Poucos e Amaldiçoados terá no mínimo 64 páginas, formato americano e sete histórias de sete páginas cada, com a participação de artistas como Luke Ross, José Luis, Pedro Mauro, Andrew Dalhouse, Adriano Di Benedetto, Sam Hart, Felipe Watanabe, Geraldo Borges e outros.

Para contribuir, basta acessar a página do projeto no Catarse:

https://www.catarse.me/as_cronicas

A campanha está no ar até o dia 07 de agosto e você pode contribuir com valores a partir de R$ 30,00!

 

Continuar lendo
Publicidade
Bruno Alves

Bruno Alves é professor, rabisca de vez em quando uns desenhos por aí e tem sempre uma música tocando em off na cabeça, mesmo quando não está usando headphones. E sim, ele gosta dos Titãs.

Deixe seu comentário!

Mais em Livros e HQ

To Top