Justiça, tribunais e roupa colante: os advogados nos quadrinhos de super-heróis

Livros e HQ

Justiça, tribunais e roupa colante: os advogados nos quadrinhos de super-heróis

Apesar de serem trollados em piadas como “O que são 1000 advogados acorrentados juntos no fundo do mar? Um bom começo”, advogados são importantes para o funcionamento de qualquer sociedade democrática que se preze.

Os causídicos também defendem a lei e a ordem nos quadrinhos; no caso do universo dos super-heróis, essa defesa da lei e da ordem às vezes acontece de maneira pouco convencional, já que alguns doutores levam uma vida dupla e nas horas vagas usam roupa colante e saem por aí fazendo justiça quando as leis falham. Ou seja, de um lado, defendem a lei; do outro, vão de encontro a ela, já que vigilantismo é crime.

Já alguns advogados dos quadrinhos terminam indo para o lado negro da força e se tornam uma pedra no sapato dos heróis.

E como 11 de agosto é o Dia do Advogado (restaurantes e bares da cidade, tremei!!!!), o Geek Café apresenta os advogados mais famosos dos quadrinhos de super-heróis!

 

Duas-Caras

Duas Caras

Harvey Dent era o melhor promotor de justiça de Gotham City e um importante aliado do Batman – antes mesmo do Comissário Gordon confiar naquele cara vestido de morcego. Idealista, honesto e audacioso, Dent bateu de frente com a bandidagem da cidade e prendeu vários criminosos, entre eles o poderoso mafioso Sal Maroni. Durante o julgamento, Maroni sacou do bolso um vidro com ácido e jogou o líquido no rosto do promotor. Com metade do rosto desfigurado, Harvey Dent desenvolveu uma dupla personalidade e se tornou um criminoso. Todas suas ações tem o duplo como temática e ele usa uma moeda como instrumento de julgamento: se a moeda cair com o lado riscado para cima, é certeza que sua vítima vai partir dessa prá melhor. Depois de ir para o lado negro da força, Dent se tornou um dos mais perigosos inimigos do Bátema.

 

Demolidor

DemolidorMatthew Murdock é um dos melhores advogados de Nova York. Divide seu escritório com o amigo Franklin “Foggy” Nelson, colega desde a época da faculdade. Assim que começou a exercer a profissão, Murdock percebeu que nem sempre o cumprimento da lei significava fazer justiça. Essa ambiguidade do Direito o deixou frustrado. Foi aí que ele decidiu usar os seus poderes (olfato, audição e tato supersensíveis, que compensam sua falta de visão) para fazer justiça quando as leis falham.

O Demolidor é um dos personagens mais complexos dos quadrinhos de super-heróis, pois vive um dilema eterno por saber que suas atividades como vigilante vão de encontro à sua formação de advogado. Nessa vida dupla, o herói já cometeu diversos erros, que só serviram para aumentar sua eterna culpa. E nessa luta meio enviesada por justiça, o Demolidor já chegou a liderar o Tentáculo, grupo de ninjas assassinos com uma contagem absurda de corpos no universo Marvel. Pense num cara complicado!

 

Mulher-Hulk

Mulher-Hulk

Jeniffer Walters é advogada e prima de um certo brutamontes verde que usa calças roxas. Um dia, durante uma visita de Bruce Banner, Jeniffer fica gravemente ferida e precisa urgentemente de uma transfusão de sangue. Única pessoa por perto, Banner é obrigado a fazer a transfusão. O resultado é que Jeniffer sobreviveu, mas teve um efeito colateral depois de receber o sangue radioativo de seu primo: ela se transforma numa versão feminina do Hulk – com a diferença de poder controlar as transformações, manter sua inteligência e ganhar um corpão!

De bem com a vida e com sua nova condição, Jeniffer entrou para o ramo de combate ao crime e fez parte dos Vingadores e do Quarteto Fantástico (quando o Coisa se afastou por uns tempos). Ela é espirituosa, forte prá baralho e também tem o estranho poder de conversar com os leitores (recurso conhecido como ‘quebra da quarta parede’). Suas aventuras são cheias de humor, non-sense e metalinguagem. Mas essa vida de aventuras não a afastou do Direito e de vez em quando ela usa deixa seu maiô decotado de lado, veste um terninho preto básico e usa seus atributos de advogada para defender algum coleguinha de profissão.

 

Foggy Nelson

Foggy NelsonO melhor amigo de Matt Murdock e um grande advogado, Foggy Nelson é um cara meio desatento. Ele comeu o pão que o diabo amassou por causa do seu sócio, que de vez em quando o deixava na mão em julgamentos importantes, já que sumia como se tivesse evaporado no ar – nessas horas Murdock estava se balançando pelos prédios da cidade enfrentando algum supervilão na sua identidade secreta de Demolidor.

Distraído como o Comissário Gordon da trilogia de Christopher Nolan, Foggy demorou para perceber a relação entre ‘sumiço de Matt = aparição do Demolidor’ e só depois de muito tempo descobriu que os dois eram a mesma pessoa. Hoje ele continua se ferrando todas as vezes que seu amigo o deixa sozinho cuidando de um caso, mas carrega o piano porque sabe que Matt está fazendo sua parte defendendo os fracos e oprimidos da cidade.

 

Juiz Dredd

Juiz DreddTai um cara que não leva desaforo pra casa e não perde tempo abrindo um processo prá acusar, julgar, condenar e, se for o caso, executar uma alma sebosa. Joseph Dredd é um dos mais importantes juízes de rua de Mega City One, megalópole ultraviolenta de um futuro distópico no século 22. Dependendo da ficha do sujeito e do tipo de crime cometido, as punições vão de simples multas até a pena de morte, que pode ser executada ali mesmo, no meio da rua – e tudo dentro da lei! Pense num advogado/juiz/júri/executor invocado.

Dredd nunca tirou o capacete da cabeça nos quadrinhos. Isso só aconteceu no cinema, quando Sylvester Stallone, intérprete do personagem, não ficou nem meia hora com sua cara feia escondida coberta pelo capacete estiloso. Um novo filme vai estrear em outubro, com Karl Urban no papel principal – que promete não tirar o capacete da cabeça.

 

O Vigilante

Adrian Chase - O VigilanteAdrian Chase era o melhor promotor de justiça de Manhattan. Idealista, honesto e audacioso, bateu de frente com a bandidagem da cidade e prendeu vários criminosos, entre eles os mafiosos da família Scarapelli. Além disso, Chase não estava satisfeito com o funcionamento da lei, que nem sempre fazia justiça. Até que a máfia colocou uma bomba no carro da família de Chase, matando sua esposa e seus dois filhos. Transtornado, o promotor decide se tornar um vigilante no melhor estilo ‘atira primeiro, pergunta depois’ e parte para a vingança contra todos os criminosos da cidade.

Apesar de ser uma mistura (cópia?) do Justiceiro com o Demolidor, até que as hq’s do Vigilante eram legais – a única coisa tosca era seu uniforme, praticamente uma roupa de esqui que tinha até um óculos de lentes vermelhas. E assim como seu colega causídico da Marvel, Chase vivia em eterna depressão por causa de sua dupla identidade. Até que um dia não suportou mais tanto dilema e a vida de violência em que se meteu e se matou – numa das cenas mais impactantes dos quadrinhos dos anos 80!

O Vigilante - Adrian Chase

Continuar lendo
Publicidade
Bruno Alves

Bruno Alves é professor, rabisca de vez em quando uns desenhos por aí e tem sempre uma música tocando em off na cabeça, mesmo quando não está usando headphones. E sim, ele gosta dos Titãs.

Comments

Mais em Livros e HQ

To Top