Arrow pode se tornar a melhor série de super-herói da tv?

Séries e Tv

Arrow pode se tornar a melhor série de super-herói da tv?

Depois do fim de Smallville (que tem lá seus méritos, vai…) o povo da Warner/DC deve ter vasculhado milhares de gibis para escolher o substituto do Super-Homem na telinha, pois apesar dos altos e baixos, a série teve boa aceitação – dez temporadas comprovam esse sucesso.

Então, qual seria o melhor personagem super-heroístico para ocupar o posto?

Prá mim (e prá torcida do Barcelona) o melhor seria o Batman. Mas como isso era impossível, eles escolheram um dos meus preferidos: Oliver Queen, o Arqueiro Verde. Vai ver alguém da Warner leu o post onde dei várias dicas de personagens/séries que poderiam virar programas de tv interessantes. De nada, Warner!

Arrow, a série do Arqueiro Verde com cara de Batman Begins, estreou no Brasil em 22 de outubro. Nos EUA, é um suce$$o, o que levou a emissora a encomendar 23 episódios para a primeira temporada. Ok, tá tudo muito bom, mas… esse Oliver Queen da tv é 100% o Oliver Queen dos quadrinhos?

Não!

E quer saber? Isso não é importante. Apesar de terem descaracterizado um pouco o personagem, eu estou gostando da abordagem (e repito: enxergo essas adaptações como universos paralelos dos quadrinhos e quem acompanha quadrinhos de super-heróis com profundidade deveria entender isso também).

Nos sete episódios vistos até agora, as referências aos quadrinhos do Arqueiro Verde são muitas e um prato cheio para os fãs do Arqueiro. Mas aí comecei a me perguntar até quando o plot de “riscar um nome da lista por episódio’ se sustentaria. Com certeza, não por 23 episódios, muito menos por outras temporadas (o que nos leva a outra pergunta: porquê esses ianques não conseguem  fazer temporadas mais curtas?).

Porém, os dois últimos episódios mostraram que os produtores parecem estar atentos a isso.

No sexto episódio, intitulado Legacies, o sidekick Diggle provoca Oliver ao dizer que ele deveria agir além da lista, que deveria ampliar sua ajuda à cidade combatendo todo tipo de crime. Apesar da resistência inicial, o arqueiro termina enfrentando a Gangue de Espadas, uma adaptação realista de um grupo de criminosos dos quadrinhos (lá eles usam uniformes ridículos e voam em plataformas que tem o formato de… cartas de baralho!!!!!). Aqui, Oliver começa a se tornar mais do que um vigilante sedento por vingança. Ele começa a trilhar o caminho do herói.

Royal_Flush_Gang_Arrow_TV_Series_001royal_flush_gang_comics

E para sedimentar essa mudança, o episódio 7 (Muse of Fire) trouxe duas coisas interessantes: a primeira é a aparição de Helena Bertinelli (Jessica De Gouw), conhecida nos quadrinhos como a Caçadora. Filha de um mafioso, Helena decide enfrentar a famiglia de seu pai e termina batendo de frente com o Arqueiro. Nos quadrinhos, a heroína faz parte do universo do Batman, agindo em Gotham City. Seus métodos violentos não são aprovados pelo morcego, que vive enquadrando a coitada.

Jessica De Gouw a Caçadora

A personagem termina servindo como uma contraparte de Oliver, já que os dois têm segredos que não podem dividir com as respectivas famílias e agem à margem da lei. Isso foi bom, porque agora o herói tem alguém que entende o que ele faz e isso, com certeza, vai dar mais dinâmica para a série.

A outra coisa foi a mudança de status de Tommy Merlyn, o amigo ricaço e boa-praça de Oliver. Nos quadrinhos, ele é o Arqueiro Negro, inimigo do Arqueiro Verde e tão bom quanto ele no uso do arco e flecha. No episódio, descobrimos que ele foi praticamente abandonado financeiramente pelo pai (olá, Capitão Jack Harkness!) por causa de seu modo de vida ocioso. Será esse o motivo para Merlyn passar para o lado sombrio?

Se a Warner tocar a série com atenção e ouvir gente que entende do riscado (como Geoff Johns, que co-escreveu o episódio 7), Arrow pode se tornar a série de super-herói mais interessante da tv nos últimos tempos – mesmo que para isso tenha que tomar algumas liberdades criativas para que a coisa fique no nível christophernolístico, o novo padrão do estúdio. Se ficar épico, que mal tem?

Afinal, uniforme colante verde-cheguei e chapeuzinho de Robin Hood só fica legal nos quadrinhos.

E para fechar: ei, Warner, aprende com a Marvel (que está produzindo um seriado da S.H.I.E.L.D. com o Agente Coulson!) e faz um de Gotham City Contra o Crime! Fica a dica!

Continuar lendo
Publicidade
Bruno Alves

Bruno Alves é professor, rabisca de vez em quando uns desenhos por aí e tem sempre uma música tocando em off na cabeça, mesmo quando não está usando headphones. E sim, ele gosta dos Titãs.

Deixe seu comentário!

Mais em Séries e Tv

To Top