Cientistas criam braço robótico controlado pelo pensamento

Braço robótico

Se você em algum momento já jogou algum game da franquia Deus Ex, deve estar acostumado com o conceito de implantes biomecânicos.

Imagine que você perde um braço ou uma perna. Agora imagine que a ciência pode repor esse membro perdido por outro mecânico, que você controla com sua mente e pode sentir e tocar coisas como antes.

É esse o caminho que a ciência está levando a humanidade.

Braço robótico Deus Ex

Engenheiros do Laboratório de Medicina Aplicada da Universidade Johns Hopkins criaram um braço robótico que vem na vanguarda da nova geração de próteses humanas.

O braço possui 26 juntas, tem mais de 100 sensores e pesa algo como 20 quilos, sendo controlado pela mente como os braços humanos naturais.

Tentando resumir um pouco a tecnologia por trás desse braço robótico, ele funciona mais ou menos assim: os engenheiros e cientistas envolvidos no projeto fazer uma cirurgia no paciente para poder mapear todos os nervos restantes do membro perdido.

Com esse mapeamento, a tecnologia criada pelos responsáveis pelo projeto pode captar os comandos cerebrais enviados através desses nervos e traduzí-los para controlar o braço robótico – que é chamado de MPL (Modular Prosthetic Limbs).

Uma das pessoas já beneficiadas com os MPLs é o americano Les Baugh, que perdeu seus dois braços até o ombro depois de um acidente elétrico quando era adolescente. Com 59 anos, o Sr. Baugh consegue controlar esses braços robóticos com sua mente, como mostra o vídeo abaixo, do NY Times.

Cada um desses braços custa cerca de $500 mil dólares (equivalente a mais ou menos R$1,5 milhões) e ainda não está pronto para ir para o mercado.

Segundo a matéria do NY Times, eles ainda precisam ter seu custo reduzido à 1/10 do valor atual (ou seja, $50 mil dólares) e ser aprovado pelos órgãos responsáveis nos EUA, o que exigirá uma série de testes clínicos bem complicados.

Todo esse trabalho foi financiado pelo Pentágono americano, que pretende usar a tecnologia para ajudar veteranos de guerra feridos em batalhas pelo mundo.